Outros Sonhos

Enquanto minha alma repousava
No silêncio da noite, dentro da madrugada,
Vi você se perder no meio do meu sonho.
Eu me lembro de quem eras, mas não era você,
Tua boca gritava mil verdades que nunca ouvi.

Lembro da tua barba mal feita, dos teus olhos castanhos
E do teu rosto infeliz, teu desgosto disfarçado.
O teu semblante hostil era um espelho do passado,
Que neste sonho eu não pude notar.

Nesta noite te vi feliz, com as mágoas no banco traseiro
E uma risada que irradiava toda a sala,
Usando uma conversa branda e calma,
Como se pudesse por um segundo flutuar.

Tuas palavras regravadas,
Passando lentamente pelos meus ouvidos,
Como cartas velhas lidas em voz alta
Ecoando no silêncio da noite atordoada,
Me pedindo para voltar.

Senti meu coração e o tecer das minhas veias
E nelas o teu sangue fluir e correr,
Meus sentidos gravando cada movimento,
Cada palavra, os teus sentimentos.

Mas depois te vi desvanecer.
Vi tuas falsas promessas pregadas,
Como telas tristes e desgastadas
No despertar do meu amanhecer.

Abri os olhos e lembrei de todos desenganos
Que nem mesmo um sonho
Ou mil anos
Me fariam esquecer.